Product manager, gerente de produto e o cientista de dados - o que eles tem em comum

Recentemente li um artigo Bom gerente de produto, mau gerente de produto – por Ben Horowitz por sugestão de um colega e uma frase me chamou bastante a atenção.

O mau gerente de produto se sente melhor sobre si mesmo quando descobre o “como”. O bom gerente de produto se comunica de forma perfeita com a engenharia, tanto escrevendo quanto falando.

A segunda sentença até parece contraditória à primeira. A pergunta que fica é como um BOM gerente se comunica de forma perfeita com a engenharia se ele pouco entende o "como". Soou muito estranho, mas não é apenas isso.

O product manager (PM) pode ser confundido com o gerente de produto (PO) embora cada um possa criar a sua própria definição sobre a diferença entre eles. Eu sempre penso que o PO (Product Owner) apareceu como uma figura dentro da adoção de metodologias ágeis ou modelos híbridos. Há quem diga que a figura do PM tenha começado com o empresário Neil Hosler McElroy através da carta de solicitação de um Brand Man, além disso o PM também é uma figura mais estratégica do produto como um todo.

Mas, o que tudo isso tem a ver com cientista de dados? O cientista de dados nada mais é do que um analista de dados. Mas para isso ele precisa conhecer muito bem o produto assim como um PM, saber como os dados são orquestrados para que a análise seja mais fácil.
A formação de um cientista de dados depende muito da utilização da engenharia, visto que no começo das atividades de coleta de informações de um produto ele precisa conhecer ferramentas ou ter noções da engenharia para desempenhar atividades de escrita de código, lógicas, etc.

Ou seja, será que um PM já não foi um ótimo gerente de produto? Além disso, é possível afirmar que um cientista de dados já não tenha sido um ótimo PM?
Então porquê um MAU gerente de produto é visto dessa forma quando se aproxima da engenharia?

Ficamos com essa reflexão para outro momento oportuno.